Histórias Reais

Meu Aluno Preferido

Graças à minha profissão é comum que eu seja convidado a dar aulas particulares de informática, e tenho a fama (por que será?) de ter especial paciência com os alunos mais velhos, que normalmente apresentam uma certa tecnofobia.

Era uma tarde muito mais do que fria do típico inverno gaúcho. Meu celular tocou, e era um de meus alunos me convidando a um café, pois um amigo seu estaria precisando de meus préstimos. Por coincidência eu estava a menos de uma quadra do local onde eles estavam, o que me permitiu rapidamente estar na companhia deles.

Ao pousar os olhos sobre o amigo de meu aluno tive de segurar os impulsos para não agarrá-lo ali mesmo, no meio do mundo: 70 anos, 1,80m, 100kg, olhos azuis luminosos, calvo, totalmente grisalho. Presumi que fosse todo peludo, pelo que podia enxergar de sua mão.

Conversamos de tudo um pouco, e logo meu velho aluno teve de nos deixar. Eu nem acreditava! Estava a sós com aquele homem maravilhoso, cujos lábios maravilhosos eu desejava beijar!

daddy05Era um homem muito inteligente, professor da Faculdade de Medicina, detinha muita cultura geral. Considerei o primeiro passo para a conquista daquele deus o elogio de que para minha idade eu era muito culto e inteligente.

O segundo passo foi quando ele começou a contar de sua vida, do filho que deixou muito cedo esta vida, da separação da mulher.

Armei-me de coragem, e no momento certo disse-lhe:

— Sabe, Carlos, esta coisa de relacionamento é muito complicada. Eu, por exemplo, gosto de coisas que meu pai, se soubesse, não aprovaria.

Falei e gelei. Não sabia o que me esperava. E se ele resolvesse ficar hostil? Bem, seria o preço a pagar, e eu estava disposto a apostar minhas fichas.

Ficamos uns dois minutos apenas nos olhando diretamente nos olhos, e quem quebrou o silêncio foi ele.

— Que classe! Eu jamais teria sabido dizer algo tão delicado de maneira tão inteligente e sutil.

— Pois é. Você entendeu, então. E digo mais: não consegui desviar os olhos de você desde que o vi no início da noite, e tenho notado cada detalhe do teu corpo. Pelo menos o que está exposto.

— Quem sabe se a gente… se nós… que tal se fôssemos a um lugar mais reservado, eu poderia te mostrar mais coisas.

Eu não podia acreditar! Eu havia conseguido conquistar aquele homem maravilhoso! Eu estava indo ao motel com ele!

daddy06Chegando lá saciei minha vontade de beijar aquele homem lindo, de tocar aquele peito — como eu imaginara — peludíssimo, de massagear suas costas, suas coxas grossas. Chupei seus mamilos, seu umbigo, e quase morri de susto ao chegar no caralho: era do mesmo comprimento do meu, mas muito grosso! Combinava perfeitamente com o saco carnudo, pendurado, balançante. E o que me deixou mais admirado: duro feito rocha. Para um homem da idade dele, uma forma invejável.

Chupei sua tora, arrancando-lhe gemidos, lambi seu saco, tentei abocanhar suas bolas. Ele me jogou na cama, e me deu um banho de língua delicioso. Parou em meu caralho, e chupou-me como ninguém jamais havia feito antes. Tive de segurar-me para não gozar durante o felácio.

Mas enlouquecido mesmo ele ficou quando coloquei-o de bruços, e caí de língua em seu rabinho. Foi o cu mais delicioso da minha vida! Cada linguada que eu dava fazia o coroa gritar de prazer! Comecei a enfiar a língua no seu cu, e segurei seu cacete com a mão. Fi-lo esporrear todo o colchão, punhetando a geba e lambendo o cu e os culhões.

Quando ele gozou deitei-me a seu lado, disposto a tocar uma punhetinha para liberar meu leite. Mas ele não permitiu. Pegou um preservativo, enfiou em mim, lubrificou o traseiro com KY, e lentamente fui penetrando suas entranhas! Como era apertado! Como era quente! Que delícia!

Fodi seu rabo de diversas maneiras, em várias posições, e acabei por liberar um jato de porra que encheu a camisinha.

Passamos aquela noite juntos, dormimos abraçados, e por vários meses consecutivos nos encontramos duas vezes por semana para “ter aula de informática”.

Copy Protected by Tech Tips's CopyProtect Wordpress Blogs.