Histórias Reais

Meu Barbeiro

daddy13Eu morei por um ano em Santo André, São Paulo. Esta história se passou lá. Aluguei um apartamento num bairro tranquilo, fora do centro, e comecei a descobrir o “caminho das pedras”, onde ficava a melhor padaria, quando era a feira, onde comprar jornal e revistas, coisas assim.

Nos primeiros dois meses eu cortava meu cabelo no Shopping em São Bernardo, depois descobri, andando pelo bairro em que morava que a duas quadras do meu apartamento havia uma pequena barbearia, daquelas bem tradicionais. Na verdade era uma extensão da casa do proprietário, um anexo lateral que bem poderia ter sido uma garagem no passado, mas agora era uma pequena barbearia com uma só cadeira e um só barbeiro.

Ele era um senhor com cerca de 60 anos, devia ter uns 70kg e 1,70 de altura. Cabelos totalmente brancos, bem cortados, partidos lateralmente da direita para esquerda. Quase sem barriga, o que só se notava quando ele sentava. Em suma era um senhor aparentemente comum (e extremamente atraente para mim).

Comecei a frequentar a barbearia a cada 3 semanas… e, como tinha tempo, tentei conhecer melhor o meu “vizinho”, o que, por eu ser do nordeste, facilitou bastante. Contudo durante os primeiros dois meses e meio eu apenas mantive conversas triviais com ele.

Um dia ao voltar do trabalho, cansado e suado, resolvi passar na barbearia e ver se ainda a encontrava aberta. Ele estava varrendo o piso e se preparando para fechar… Cheguei até a porta e nos cumprimentamos, eu perguntei se ele ainda me atenderia porque eu precisava fazer a barba e cortar o cabelo; ele pensou um pouco e eu pressionei um pouco mais dizendo que iria em casa rápidinho trocar de roupa pois me achava suado… Ele concordou e eu corri as quadras que nos separavam e me troquei colocando um short e camiseta.

Voltei e encontrei a barbearia fechada. Pensei comigo: DROGA!!! Corri tanto pra nada! Foi quando a porta da casa se abriu e ele me chamou; me aproximei pensando que ele diria que demorei demais, mas ele apenas disso: — entre, eu fechei a porta principal porque não atenderei mais ninguém hoje, só você.

Entrei, não preciso dizer que estava me deliciando em entrar na intimidade daquele senhor tão bonito, e fomos através da casa até o acesso interno para a barbearia. Estava tudo limpo já e eu pedi desculpas porque sujaria de novo ao que ele declinou e disse que não havia problema, pelo menos seria mais uma hora ou duas com alguém pra conversar.

Sentei e, bem, vocês sabem como é para se fazer barba e cabelo… eu adorava o toque daquelas mãos em meu rosto, vibrava cada vez que ele se encostava em meu braço para efetuar um corte em melhor posição… conversávamos sobre amenidades, minha vida, sua vida, eu solteiro, ele viúvo, eu engenheiro, ele filho de comerciantes… a conversa enveredou pelo meu trabalho em outra cidade, como eu me virava estando sozinho tão longe de casa, amizades, sexo e etc… eu retornei as perguntas questionando sobre a vida dele, sozinho, mantaendo uma negócio e uma casa impecávelmente limpa e arrumada, como cozinhar e, é claro, sexo também.

Nossas respostas para ambas as questões foram vagas mas deixaram aquele clima de mistério no ar… Não nos conhecíamos o suficiente para perguntas coisas mais íntimas… Terminamos e me ofereci para ajudar na limpeza, já que eu tinha causado a sujeira e não tinha nada mais pra fazer mesmo. Após a limpeza que foi fácil e cheia de pequenos “esbarrões” no espaço pequeno da barbearia, ele me convidou para tomarmos café como forma de pagamento pelos serviços. Aceitei de cara.

Fomos para a sala e ele fechou a porta de acesso à barbearia. Ele pediu licensa para ir trocar de roupa pois esta cheio de cabelo; sentei no sofá e fiquei esperando e pensando sobre como me aproximar mais dele sem dar na pinta. Alguns minutes depois, ele saiu do banheiro com uma camiseta regata branca e uma bermuda folgada… eu tive que me obrigar a respirar devagar porque ver seus braços, os pelos do seu peito saindo pela camiseta e suas pernas me deixaram congelado… ele dever ter notado porque sorriu e foi na cozinha de onde voltou com café, torradas, bolachas, requeijão e manteiga. Colocou a bandeja na mesa de centro e sentou na poltrona em frente ao sofá… Fiquei embaraçado com a visão de suas coxas e pensei em puxar uma conversa qualquer, mas ele esticou o braço e pousou a mão no meu joelho e disse: está tudo bem assim pra você? Eu gelei e ele continuou com a mão no meu joelho agora massagenado minha coxa…

Não aguentuei e me ajoelhei entre suas pernas e o abracei… como foi gostoso sentir o cheiro dele… tocar seu corpo tão bonito… Ele colocou as mão em minhas costas e eu comecei a tirar sua camiseta… beijar sua barriga… ele reclinou a cabeça e apenas gemia baixinho… me levantei afastei a mesinha e comecei a abrir sua bermuda… minhas mãos passeavam dentro dela ainda antes tirar… eu queria senti-lo com minhas mãos… ele apenas se levantou um pouco para facilitar a remoção da bermuda (estava sem cueca)… me afastei um pouco e fiquei admirando aquele senhor lindo, sentado nuú na poltrona… me olhando com ternura…

daddy14Me ajoelhei de novo e continuei a beijar, massagear e lamber seu peito, barriga, coxas, pernas, pescoço e braços…. eu já estava pingando de tão excitado, ele ainda estava começando… mordisquei a parte interna de sua coxa e ele gemeu ainda mais alto… comecei a lamber e chupar aquele pau rosa e gordinho…ele agarrou minha cabeça e puxou para baixo; queria mais e eu cedi uma vez indo até engasgar, depois me levantei,beijei seus lábio e pedi para irmos para a cama, queria mais espaço e liberdade para explorar aquele corpo delicioso.

Não consegui me segurar por muito tempo e logo depois que estávamos na cama abraçados trocando carícias eu disse que ia gozar. Ele se surpreendeu que eu gozasse sem ele ter feito nada e eu disse que ele era a razão… ele tomou meu pau e bateu uma suave e logo eu gozei em suas mãos e sua barriga… Segui beijando a chupando até que ele me disse que ia gozar também… nos abraçamos e nos beijávamos com intensidade enquanto esfregávamos nossos corpos.. seu pau entre minhs pernas e na minha barriga… ele aumentando o ritmo e quase furando minha barriga com aquele pau duro… gozou sobre mim com um gemido alto e depois ficamos abraçados sentindo um ao outro…

Alguns minutos depois nos levantamos para tomar banho e nos limparmos de tudo o que fizemos… tomar banho com ele foi a coisa mais sensacional que já fiz… e, como era de se esperar, fiquei durão de novo; ele ficou impressionado porque não achava que era tão atraente assim, ele não esperava provocar tanto tesão em mim… o abracei e disse que queria fazer amor com ele de novo… saímos do banheiro meio molhados e voltamos pra cama… lá ele me disse que sempre quis chupar um homem e também ser comido, mas tinha medo… Assegurei que seria conforme a vontade dele sem forçar nada e ele cedeu ao próprio desejo.

Nos abraçamos na cama e ele começou a beijar minha barriga.. foi descendo e tomou meu cacete com receio e desejo… beijou todo ele… lambeu minhas bolas enquanto eu mantinha minhas mãos em seus cabelos massageando sua cabeça e gemia pedindo pra ele colocar tudo na boca … eu tava pegando fogo… ele criou coragem e colocou a cabeça na boca… mmmm foi demais sentir seu lábios trêmulos beijando minha glande já sensível… vencida a barreira inicial ele se soltou e tomou tudo e começõu a chupar como se fosse um picolé que estivesse derretendo… sentia sua língua na base do meu pau…ele começou a subir e descer, chupando com força, com fome… eu pedi pra ele parar senão eu gozaria e eu ainda queria estar dentro dele… ele, com receio que doesse muito a penetração sugeriu sentar em mim para ter maior controle, deixei, e ver aquele homem com cabelos brancos, peito peludo grisalho, aquele corpo tão tesudo, tão deliciosamente sexy se ajeitando em cima do meu cacete.. ahhh que vista… ele foi baixando devagar (passou creme em tudo primeiro porque lhe disse que era mais fácil)… seu rosto se contraía a medida que meu pau entrava… quando chegou a meio caminho ele já tava suando barbaridades, pedi pra ele deitar de lado e fiz o resto… entrei todo e comecei a bombar… ele gemia e dizia meu nome sem parar… eu entrando e saindo dele com ritmo e minhas mão nos seu peito apertando aquele homem gostoso contra mim… queria morder ele todo e queria ir o mais fundo possível… era uma guerra… estava a ponto de explodir de prazer ouvindo os gemidos dele e sentindo o deslizar do meu pau dentro dele…baixei a outra mão para brincar com seu pau e fiquei com uma mão no seu peito, a outra no seu pau e meu pau dentro dele… entrei no frenezi do gozo que estava perto e acelerei as estocadas, tirando quase tudo e colocando de novo, cada vez mais rápido, mais rápido, mais rápido até que o puxei todo contra mim e o mantive bem apertado enquanto explodia dentro dele…. gozamos e desadamos suados e satisfeitos eu ainda dentro dele.. e ficamos assim … meu pau amoleceu dentro dele enquanto eu beijava seu pescoço e alisava sua barriga…. dormimos assim….

Na manhã seguinte, acordamos muito cedo e eu saí discretamente de sua casa antes que a vizinhança tivesse a chance de notar…

Passei a cortar meu cabelo a cada quinze dias e sempre fazia a barba lá também… sempre às sextas-feiras à noite… e sempre o último cliente… Ficamos assim pelos próximos 7 meses que ainda fiquei lá.

Copy Protected by Tech Tips's CopyProtect Wordpress Blogs.